foto

foto
joaobnascimento

sexta-feira, 22 de junho de 2018

São onze reis no gramado; Milhões de súditos aplaudindo.

São onze reis no gramado;
Milhões de súditos aplaudindo.

Hoje o nosso futebol
Que foi prazer no passado
Está muito mudado
Não brilha mais no arrebol
Apagou-se a luz do sol
Toda arte foi fugindo
Os dribles foram imergindo
Não existe mais gingado
São onze reis no gramado
Milhões de súditos aplaudindo.

Os atletas antigamente
Foram todos substituídos
Viraram astros iludidos
Não lembram vagamente
O futebol está doente
Os craques foram sumindo
A arte se exaurindo
O povo sendo enganado
São onze reis no gramado
Milhões de súditos aplaudindo.

O futebol virou mistura
Comercio e exploração
Moeda de exportação
Acabou-se a arte pura
Negociata sem lisura
A fome de gol reduzindo
Hoje o craque vive caindo
Joga mais tempo deitado
São onze reis no gramado
Milhões de súditos aplaudindo.

Às várzeas que produziram
Craques de autenticidade
Jogadores de verdade
Com o tempo já faliram
Escolinhas substituíram
Atletas foram fabricando
Com astúcia enganando
Hoje está tudo acabado
São onze reis no gramado
Milhões de súditos aplaudindo.

A FIFA tão poderosa
Já não tem credibilidade
Com as outras entidades
Viraram piadas e prosas
Roubalheiras dolorosas
Mancharam o seu caminho
Todo crédito foi caindo
É órgão desacreditado
São onze reis no gramado
Milhões de súditos aplaudindo.

Jogador da seleção
É um homem milionário
Exemplo de mercenário
Não existe empolgação
Virou muita enganação
O futebol foi reduzindo
Pouco estão produzindo
Todos estão nivelados
São onze reis no gramado
Milhões de súditos aplaudindo.

Se tiver bom empresário
Um bom apadrinhamento
Não precisa treinamento
Jogar só o necessário
Um craque extraordinário
Logos estará surgindo
O Galvão ficar aplaudindo
Pela Globo apadrinhado
São onze reis no gramado
Milhões de súditos aplaudindo.

Os salários dos jogadores
Dão para tirar da miséria
A fome que é tão séria
Milhões de trabalhadores
Que trabalham de favores
De fome vão sucumbindo
Os atletas se exibindo
Tatuagens e penteados
São onze reis no gramado
Milhões de súditos aplaudindo.

A nossa pobre seleção
Não passa de uma piada
Por nome tão afamada
Hoje é uma aberração
Neymar na enganação
Boneco que vive caindo
Enganando e iludindo
Nem em pé mesmo fica
Pra ganhar da Costa Rica
Jogo fácil no passado
São onze reis no gramado
Milhões de súditos aplaudindo.

Para ser fenomenal
Só precisa pedalar
Sem nada para criar
Já se torna genial
Ser um afilhado global
Pé sobre a bola iludindo
As chuteiras reluzindo
Jesus sem dar o recado
São onze reis no gramado
Milhões de súditos aplaudindo.

Fagner está mais para cantor
Thiago Miranda e Marcelo
Allison um boneco singelo
Casemiro está um horror
William nem sequer entrou
Paulinho nada progredindo
Jesus e Neymar apagados
São onze reis no gramado
Milhões de súditos aplaudindo.

Tite tenta uma aposta
Firmino entra em ação
Teve mais uma opção
A entrada de Diego Costa
Ele teve uma proposta
O futebol foi surgindo
O jogo foi progredindo
Os gols saíram atrasados
São onze reis no gramado
Milhões de súditos aplaudindo.

Joabnascimento
22/06/18

segunda-feira, 4 de junho de 2018

A destruição do ser humano

Foto: Plus.google.com

A destruição do ser humano

Assim falou o saber
Através da filosofia
O mestre da sabedoria
Veio ao mundo dizer
Que o poder da destruição
De todo ser cristão
Está na base do poder

Indira Gandhi assim falou
Que políticas sem princípios
Da miséria são indícios
Ele também nos ensinou
Que o prazer é um atalho
E a riqueza sem trabalho
É compromisso sem amor

Sem o caráter na sabedoria
Ciência sem humanidade
Oração sem caridade
O mundo não progredia
Todo negócio sem moral
É um abismo fatal
Que cresce a cada dia

Políticas sem princípios
Sem planos e honestidade
É o que impera na verdade
Nesses políticos ímpios
Nos Estados e na União
Em toda a administração
Que rege os municípios

Da falta de honestidade
Da grande destruição
Do roubo e corrupção
Da falta de moralidade
Do poder descontrolado
Do povo desmoralizado
Pela alta sociedade

O País sem direção
Sem justiça e trabalho
Segurança é ato falho
Sem apoio na educação
Sem saúde e sem cultura
Só desgraça e amargura
Só miséria na multidão

O prazer sem compromisso
Tamanha promiscuidade
Tornou-se vulgaridade
O poder sendo omisso
Programas de televisão
Pregando a devassidão
Ninguém dá conta disso

O sexo desenfreado
No teatro virou cultura
Na arte da amargura
O povo é impulsionado
É normal homossexualidade
O sexo virou banalidade
Sem os princípios ensinados

A riqueza sem trabalho
Através da roubalheira
Virou meta costumeira
É legal esse ato falho
A ganância desmedida
O pobre sem alternativa
No pescoço um chocalho

O rico cada vez mais rico
O pobre sem opção
Trabalho na escravidão
Tratado feito jerico
A ganância desenfreada
Pra quem nunca suou nada
Vivendo num mundo lírico

Sem caráter na sabedoria
O homem desvia o caminho
Prefere andar sozinho
Em volta só demagogia
Não adianta ser doutor
Na faculdade um reitor
Num mundo de alegoria

Usar o saber para o mau
Aperfeiçoar as maldades
Ensinar com ferocidade
Mostrar o lado genial
Induzindo ao aprendiz
O modo de ser feliz
Com atitude anormal

Fazer negócio sem moral
Do outro se aproveitar
Um descuido para roubar
É um ato marginal
De tudo tirar proveito
Não dar ao outro o direito
É um privilégio ilegal
  
O princípio da honestidade
Faz-te ser verdadeiro
Honesto por inteiro
Com responsabilidade
Usar a sua sabedoria
Com barbárie pra melhoria
Faz-te mentor da maldade

A ciência sem humanidade
Desviando o objetivo
É mais que um motivo
Pra expressar toda maldade
A ciência usada para o bem
Traz o progresso também
E saúde para as enfermidades

A ciência usada para o mau
É o inverso do progresso
Nos leva ao retrocesso
A mortalidade é fatal
Provoca a destruição
Destrói toda nação
É uma arma letal

Oração sem caridade
É uma falta de amor
É desterro e torpor
É falta de humanidade
Não resolve o problema
Nessa vida de dilema
Onde impera a falsidade

Através da caridade
Devemos sempre ajudar
Aquele que precisar
Com amor de verdade
Fazer sempre o bem
Sem olhar a quem
É sinal de bondade

 As palavras fogem ao vento
O que vale é atitude
Uma ação com virtude
Feita no exato momento
Jesus assim nos ensinou
Demonstre o seu amor
Sem mágoa e ressentimento

Autor: Joabnascimento
Data: 01/05/18
Recanto das Letras: Joabnascimento
Blog: joaobnascimento55.blogspot.com
Twitter:@ljoaobatista

sexta-feira, 4 de maio de 2018

O amor não tem idade

Foto: Twitter.com

O amor não tem idade

O amor não tem idade
E nem preconceito
O amor é um direito
Para todo o cidadão
No amor não existe não
Tudo nele tem o sim
O amor não tem fim
É verdade com razão

No amor não tem credo
Nem raça e nem cor
No amor impera amor
Não muda de opinião
É firme a decisão
Na hora que for tomar
Não pensa em mudar
Tomar outra direção

No amor não existe ciúme
Nem mágoa e cobrança
Não somos uma criança
Deixadas como legado
Nem um troféu conquistado
Nem objeto ou mercadoria
O amor é uma poesia
Num belo verso rimado
  
No amor amadurecido
É constante o querer
A vontade de te ver
E ter sempre do lado
Aquele amor calejado
Pelos anos ali vividos
Com o seu amor querido
Por ambos venerados

As rugas no rosto mostram
As estradas percorridas
Os dois juntinhos na lida
Cada um com mais cuidado
Os beijinhos trocados
Nos momentos de carinho
No aconchego do seu ninho
Por Deus pai abençoado

Os cabelos branquinhos
Ou até a falta de cabelos
O que importa é o zelo
Afetos firmes trocados
De mãos dadas ou abraçados
O respeito ali se instalou
Tudo em volta impregnou
Com o perfume exalado
  
O amor da terceira idade
É um amor completo
É um jogo aberto
Sem mentiras e falsidade
É a base da fidelidade
Sincero até no olhar
Comunga o mesmo pensar
Na mais pura honestidade

Os calos nas mãos
O corpo nu enrugado
Diferente do passado
Não existia flacidez
Nos músculos só rigidez
Demonstra hoje o respeito
Encravados no peito
De um amor sem timidez

O amor é compassivo
De inteira compreensão
É essência do coração
Enquanto estamos vivos
Também é compreensivo
Nos erros e nos defeitos
Em tudo nele é aceito
E nunca será nocivo

A base de um olhar
Faz você compreender
Num gesto faz entender
Do outro a sua intenção
Com toda dedicação
Ao outro bem atender
Fazer por merecer
E lhe dar toda atenção

Vamos todos amar
Independente da idade
Amar um amor de verdade
Pregar o puro sentimento
O amor ser de alento
Quando é verdadeiro
Respeitar o companheiro
Sem marcar hora nem tempo.

Autor: Joabnascimento
Data: 27/04/18
Recanto das Letras: Joabnascimento
Blog: joaobnascimento55.blogspot.com
Twitter:@ljoaobatista